POLÍTICA

Murargy diz ser “difícil” encontrar solução para a divida pública em Moçambique

O secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Murade Murargy, reconheceu que uma solução para o problema da divida Moçambicana “está difícil”, acreditando, no entanto, “numa saída”.

“A dívida está a ser discutida com instâncias internacionais, está a ser difícil, mas eu creio que vão encontrar uma saída”, disse o diplomata que se manifestou.

O secretário-executivo da CPLP, Murade Murargy, disse estar otimista quanto uma solução negociada para a crise político-militar que vem assolando a nossa pérola do índico desde a divulgação das últimas eleições Gerais, onde Filipe Nyusi e o partido dos camaradas foram os grandes vencedores.

“O diálogo entre as partes está a avançar, provavelmente até setembro haverá em termos políticos militares uma saída para a crise que se vive neste país”, sublinhou.

Murargy encontra-se na capital são-tomense para participar na investidura do Presidente eleito, Evaristo de carvalho e terá encontros com as autoridades para discutir a situação da organização, particularmente a agenda para a cimeira de chefes de Estado e de Governo a realizar em novembro próximo no Brasil.

Fonte: Lusa

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 Comentários

  1. Maria Lucia disse:

    Para a dívida de Moçambique é nulo dizermos que não existem soluções…. As pessoas que contraíram a dívida estão bem vivas e bem endinheiradas. O que temos os moçambicanos é mente curta. Veja o que fez o Brasil….Esses que andam com Merceds Benz que andem agora de Corola, os que andam com Prados andem com Vitz, esses que se dizem novos rico que se confisquem os seus bens, porque na verdade onde é que tiveram tanta herança para irem ver o desfile de moda num avião presidencial….. temos sim senhores onde ir buscar o dinheiro da dívida. Os grandes da EMATUM, Proíndicos e MAM, que se pronunciem onde é que puseram o dinheiro e que se vá buscar….. talvez está por lá nos Panamá Papers, não duvido nem por um segundo….. esses senhores devem ter esbanjado ou escondido o dinheiro em algum sítio.

  2. Dércio Mário Machava disse:

    Concordo plenamente consigo Maria Lucia, as pessoas que estiveram por detrás desse negócio sujo estão vivos bem indinheiradas. Tal como diz o Sérgio Vieira “quem contraiu essa divída está. Que se responsabilize essa pessoa e que devolva”.
    Não entendo porque os nossos “governantes” andam por ai procurando soluções inexistentes para colmatar os problemas, quando existem as pessoas que fizeram isso e estão num silêncio absoluto como se nada tivesse acontecido. Como estamos num país sem seriedade, nada irá acontecer a esses manos que afundaram o país e comprometeram o futuro de milhões de moçambicanos.

  3. Eu pelo que vejo, em Mozambique não existe uma lei que permite o julgamento de presidentes que cometem irregularidades, mas se fosse noutros países onde existe isso, esse tal presidente que contraiu dívida particular em nome do povo seria julgado e condenado e havia de devolver esse tal dinheiro aos donos. Nos países desenvolvidos onde há justiça clara isso não acontece.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: