POLÍTICA

Nyusi aceita publiocamente presença de mediadores internacionais no diálogo com Dhlakama

O presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, finalmente cedeu o pedido do líder do maior partido da oposição no país, Afonso Dhlakama.

Nyusi disse que aceita a presença de mediadores nacionais e internacionais, tal com o partido Renamo exigia, para que o diálogo possa acontecer o mais rápido possível e acabar com a tensão política e militar que alastram desde a divulgação dos resultados das últimas eleições.

“Estão a falar as duas equipas, a equipa do governo e da Renamo. Era o nosso objectivo que fizessem poucas reuniões e não 100 como fizeram noutra vez” disse Filipe Nyusi

Numa outra abordagem, o presidente da República afirmou publicamente que aceita a mediação Internacional.

“A Renamo vem com as suas propostas que é a governação das seis províncias e também a situação das Forças de Defesa e Segurança e, a minha equipa aceitou os pontos sugeridos pela Renamo.

A minha equipa também colocou na agenda dois pontos. O primeiro ponto é parar imediatamente os ataques contra as populações e o segundo ponto é o desarmamento da Renamo, por que um partido político não fica Armado.

Então dissemos que já chegou o tempo e vamos sentar para falar e, foi ali que entalou o assunto, não continuou nada por que está sendo difícil para falarmos. Depois perguntei, o que é que falta mais? Então eles disseram que ‘precisamos de observadores ou mediadores, pessoas que devem ficar entre nós e, se não houver isso nós não vamos falar. Nós não podemos parar os ataques por que precisamos alguém no meio’.

O problema de pessoas para estar no meio, esse tais mediadores, eu digo que Dhlakama venha falar comigo, podemos aceitar que essas pessoas venham e estejam, quero ouvir agora qual será o argumento'”, sentenciou Filipe Nyusi.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

9 Comentários

  1. Este País deve parar com á guerra e governação autonima não Concordo. Nos somos um povo único do rovuma aõ índico, se entendam e xega de gurra

    • Passos Costa, de Angola disse:

      É com grande alegria que li esta notícia, espero que desta vez o povo do país irmão alcance a paz sendo a base fundamental para o desenvolvimento. Viva a paz em Moçambique.

  2. dan disse:

    nyuz sta dizer dhlakama venha vamos aceitar, ê mentila, dhlakama ja propos na ass. da republica nyuz com o grupo da frelimo chumbou, nao pod mentir querem matar dhlakama se chegar amaputo, afrelimo so aceita depois de purada

  3. Omardine juma disse:

    Si isso é verdade espero que não alterem da desição que foi tomada, porque não queremos guerra em moçambique. E queriamos que isso acontecese mais rapido possivel.

  4. Abel Raul disse:

    o qui o povo xpera é qui isso nao seja uma fantochada como sempre tem acontecido.

  5. JONA disse:

    este é que é o problema da frelimo, aceita depois da perda das vidas humana, se aceitaçe antes de mortes seria boa,,, nyuz, o que spelava

  6. raisse raiox disse:

    nós nao queremos aguerra porfavor parem com isso

  7. Dhlakama nã o sabe o que quer.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: