POLÍTICA

PRM não consegue notificar testemunhas de atentado a Manuel Bissopo

A polícia da República de Moçambique (PRM) não está conseguindo notificar as testemunhas do atentado ao secretário-geral do maior partido da oposição no país, Manuel Bissopo, baleado por desconhecidos há três semanas na cidade da Beira.

Falando sobre o balanço semanal das actividades da polícia em Sofala, Sididi Paulo, oficial de imprensa no comando da polícia, disse que as testemunhas que seguiam na viatura conduzida pelo secretário-geral da Renamo não respondem às notificações para depor na polícia, situação que tem atrasado o esclarecimento do caso.

“Já notificamos as pessoas que naquele dia estavam com Manuel Bissopo na viatura, para prestarem depoimentos sobre o ataque. Contudo, não estão a comparecer para ajudarem no esclarecimento do caso” disse Sididi Paulo.

Sididi Paulo disse ainda, que as investigações para o esclarecimento do caso não estão reféns das testemunhas, embora a sua ausência seja um constrangimento, estando a polícia em posse de elementos recolhidos no local do crime.

“Queremos apelar para a consciência destes cidadãos [membros da Renamo] para que venham a polícia para que possam dar os seus depoimentos visando o rápido esclarecimento do caso”, acrescentou Sididi Paulo.

A polícia continua ainda sem pistas dos atiradores que dispararam sobre Bissopo e mataram o seu guarda-costas no local, disse o oficial de imprensa.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.