DESPORTO

Cristiano Ronaldo diz que os seus colegas não estão ao seu nível

Após a derrota com o Ath. Madrid o craque da seleção portuguesa e do Real Madrid decidiu desabafar.

“Se todos estivessem ao meu nível, estaríamos em primeiro”. Essa foi a resposta de Cristiano Ronaldo aos jornalistas que, na sua opinião, estão numa campanha contra si, por escreverem na imprensa espanhola que ele não está a atravessar um bom momento. No final da derrota do Real Madrid com o Atlético de Madrid, por 1-0, no Santiago Bernabéu, resultado que colocou um ponto final nas aspirações ao título dos merengues, o internacional português não se conteve. Horas depois, contudo, fez uma espécie de mea culpa.

Cristiano Ronaldo

“Aborrece-me que digam que baixei de rendimento e que, por isso, a equipa baixou de rendimento. Se todos estivessem ao meu nível, estaríamos em primeiro”, disparou Cristiano Ronaldo, argumentando: “Parece que estou uma merda, mas os números não enganam, as estatísticas não enganam.”

Algum tempo depois, num contacto para o jornal desportivo Marca, Ronaldo tentou amenizar as ondas de choque que estas suas declarações estavam a provocar. Primeiro, afirmando que quando disse que os seus colegas de equipa não estavam ao seu nível se estava a referir à condição física. Depois, acrescentando que não quis dizer que era melhor do que eles. “Quando disse isso [Se todos estivessem ao meu nível, estaríamos em primeiro] referia-me ao nível físico, não de jogo. Não sou melhor do que nenhum dos meus colegas”, acrescentou.

O avançado português lamentou-se ainda das constantes lesões que têm afectado o plantel merengue e que, na sua opinião, justificam o atraso que a equipa tem para o Barcelona, primeiro da classificação. “Não sei se é falta de preparação no princípio da época, mas temos tido muitas lesões e isso prejudica-nos. O que sei é que os que não estão fazem falta porque são muito bons. E se uma equipa não joga com os melhores… é complicado”, disse ele..

Na opinião de Ronaldo, é difícil fazer melhor quando há tantos bons jogadores sem poder dar o seu contributo, deixando no ar a ideia de que, numa competição longa, ter tantos jogadores com problemas físicos, acaba por ser determinante:  “Gosto de jogar com Pepe, Benzema, Bale, Marcelo. Não quer dizer que Jesé, Lucas ou Kovacic não sejam bons. São muito bons, mas, para ganhar uma competição destas é preciso ter os melhores.”

No relvado, o Atlético venceu pela terceira vez consecutiva para o campeonato os rivais de Madrid no Bernabéu. Bastou um golo de Griezmann, que não marcava há cinco encontros, aos 53′, para impor a primeira derrota do francês Zidane como treinador do Real Madrid, após seis triunfos e dois empates.

“Não estou contente, não posso estar com a derrota, com o que aconteceu, com o jogo que fizemos. Antes que me perguntem, a Liga acabou. É sempre difícil e se perdermos pontos vai ser ainda mais, mas não vamos atirar a toalha sobre a temporada, aconteça o que acontecer. Temos objectivos e há que ganhar jogos. É o discurso que devo ter”, disse o técnico gaulês no final do encontro.

Com este resultado, o Atlético de Madrid reforça o segundo lugar na Liga espanhola, ficando a cinco pontos do Barcelona, que apenas joga no domingo, com o Sevilha.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: