POLÍTICA

“Esforcei-me para transferir o meu irmão para fora do país, mas não consegui” diz Nyusi

O presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, reagiu ontem, quinta-feira, a morte do líder do maio partido da oposição da nossa pérola do índico, Afonso Dhlakama.

Em contato com a Televisão de Moçambique, o chefe do Estado Moçambicano, avançou que Dhlakama abandonou o mundo dos vivos numa altura muito errada.

O mesmo lamentou o facto de não ter conseguido ajudar o número um da Renamo a tempo.

“É um momento muito mau, principalmente para mim. Estávamos a resolver os problemas deste país. Esforcei-me para transferir o meu irmão para fora do país, mas não consegui. Estou muito deprimido. Não me deram tempo… não me informaram que ele estava mal há uma semana. Disseram há um dia”, disse o Chefe do Estado.

Numa outra abordagem, Filipe Nyusi, avançou que a morte de Afonso Dhlakama não significa o fim da oposição.

“Fui infeliz. O que importa é que o país não deve parar, e não devemos continuar num Estado sem oposição. A oposição não faz mal a ninguém”, sentenciou Filipe Nyusi.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. Nassibo Assane disse:

    Na verdade oposição não faz mal a ninguém, mas há certos grupos que fazem mal e dão um mau olhar aos opositores. Força nosso verdadeiro Pai da nação Moçambicana

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: