POLÍTICA

“Dhlakama é o pai da Liberdade em Moçambique” diz Manuel de Araújo

Após a morte do líder do maior partido da oposição em Moçambique, Afonso Dhlakama, várias personalidades ao nível nacional e internacional, enviaram mensagens de condoléncia a familia do Líder da “perdiz”. Os mesmo também destacaram os feitos e a importancia do malogrado na política moçambicana.

O presidente do Município de Quelimane, Manuel de Araújo, foi uma das personalidades que também reagiu ao desaparecimento físico do “Pai da Democracia”.

Em contacto com a STV, o Edil de Quelimane avançou que Afonso Dhlakama é o pai da liberdade e defendeu que os seus ensinamentos devem ser seguidos pelos moçambicanos.

 “Moçambique estava independente mas não tínhamos liberdade, porque, como todos nós sabemos, para irmos visitar os nossos parentes tínhamos que solicitar guias de marcha e havia campos de reeducação neste país. Foi o Afonso Dhlakama que nos libertou destes males. Se hoje estamos aqui a falar e existe neste país a liberdade de opinião, de expressão e de manifestação e temos uma democracia multipartidária, foi graças a coragem e determinação deste homem. Por isso, o apelo que faço a todos os moçambicanos é que temos que continuar a abraçar aquelas que eram as causas da luta deste homem”, disse ele citado pela Stv.

Numa outra abordagem, Manuel de Araújo, avançou ainda que Afonso Dhlakama, abdicou-se do Luxo e foi se instalar na Gorongosa para manter a Paz no nosso solo pátrio.

 “O líder da Renamo, defendo as suas causas, recusou ofertas de exilio e foi viver na Serra da Gorongosa, em condições precárias, onde faltava quase tudo e debaixo de sol, chuva e sob frio intenso para que este país continuasse a ser uma pátria democrática e de homens livres onde os homens e a terra fossem finalmente libertos”.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: