POLÍTICA

PRM sem pistas mas inicia investigação do baleamento do dirigente da Renamo em Tete

A Polícia da República de Moçambique (PRM), ao nível da província central de Tete, diz estar sem pistas sobre o assassinado do dirigente do maior partido da oposição no país em Moatize, mas iniciou uma investigação, considerando “preocupante” uma execução pública com arma de fogo, avançou a agência Lusa.

“Lavramos um auto contra desconhecidos porque houve um assassinato na via pública”, disse Lurdes Ferreira, porta-voz da Polícia da República de Moçambique na província de Tete, em contacto com a agência Lusa.

“Como Polícia estamos preocupados com o caso que aconteceu, com a morte por baleamento na via pública”, acrescentou.

Veja Também: Muchanga acusa FDS de terem executado dirigente da Renamo em Tete : “Não é a terceira, quarta ou décima vez”

A responsável disse que foi iniciada uma investigação junto dos familiares e amigos da vítima, para apurar se existiam motivações que levassem à sua execução.

“É nesta hipótese que estamos a trabalhar”, explicou Lurdes Ferreira, avançando que a Polícia terá um posicionamento mais preciso sobre o caso em breve.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. tiodosio disse:

    Pork o governo xta brincar cm a vida d povo mocambicano pork nao toma dicisao final com renamo

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.