POLÍTICA

Renamo diz que nunca atacou hospitais na Zambézia

Essa posição foi tornada pública pelo maior partido da oposição no país, após a organização internacional de defesa dos direitos humanos, Human Rights Watch, ter tecido duras críticas aos comandados por Afonso Dhlakama, por terem atacado e saqueado dois hospitais na província da Zambézia, avançou a DW África.

“Os relatos que nós temos do terreno é que foram roubadas várias quantidades de medicamentos, entre eles medicamentos de urgência e de extrema necessidade, como é o caso de medicamentos de HIV/SIDA, a penicilina, ou ainda kits para parto. Portanto, são medicamentos essenciais em áreas de difícil acesso”, disse a pesquisadora da instituição de defesa dos direitos humanos, Zenaida Machado, citado pelo DW.

“Em Mopeia, nós falamos com a equipa médica no local que disse que só é preciso alguns dias para que fosse reposto o estoque e as pessoas voltassem às clínicas. Isto é inaceitável”, revela Machado. A pesquisadora diz que “em nenhum conflito ou desentendimento militar as vítimas devem ser civis, e muito menos civis que estejam ir a hospitais ou a clínicas”.

Em jeito de resposta, a sobrinha do Líder da Renamo, Ivone Soares, que também é chefe da bancada parlamentar da “perdiz” na Assembleia da República, negou que os ataques tenham sido protagonizados por membros do seu partido.

”Numa situação em que há conflito, há sempre uma forte propaganda que é feita com vista a denegrir um dos lados”, acrescentou.

“Não é da natureza da RENAMO estar a promover situações que ponham em perigo a vida de cidadãos civis”. “O confronto é entre militares; não é um confronto entre a RENAMO e membros da sociedade civil”, sentenciou.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 Comentários

  1. Luis disse:

    A sobrinha do líder tem discursos infantis que não lhe dignificam. Deveria ter coragem de aceitar as atrocidades que seu tio anda a protagonizar. Nós vivemos na Zambézia e sentimos o terror da guerra que a Renamo vem protagonizando.
    Morrumbala foi vandalizado assim como Mopeia.
    Que vergonha.

    • Antonio disse:

      Senhor Luis, eu acho que nao tem que julgar sobrinha do lider da renamo, pois o senhor nao estava no conflito de Morrumbala nem Mopeia, todos acompanhamos via comunicacao social e quem se aproveitou dos medicamentos ninguem viu, apenas ohvimos que retiraram medicamentos, pelo que deixa a politica para os politicos o que nos mocambicanos queremos neste momento e a Paz, mas nao disse.

  2. AGE disse:

    Se a frelimo não aceita governo de inclusão que usa o seu poder em desarrumar a renama. Si caso não será possível que avise a população Moçambicana para ficarmos atento em tudo. visto que já estamos a sofrer em todas particularidade que nos afecta em todo território Moçambicano. Allah que nos ajude a sairmos dessa situacao.

  3. Antonio disse:

    O nosso país xta numa fase muito complicado por causa dos nossos derigentes que nao cumprem com as suas palavras. O povo inocente esta a sofrer. Mas para onde vamos com isso?
    Abaixa violaçao nós queremos o bem para o povo Moçambicano. Estimados derigentes vejam bem esse ponto. Tamos a sofrer

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: