POLÍTICA

Homens Armados da Renamo assaltam Posto Policial e soltam reclusos em Mopeia

Dois centros de saúde e um posto policial assaltados no intervalo de cerca de três horas é o balanço de uma ofensiva militar de homens armados associados à Renamo, na madrugada do último sábado, no distrito da Mopeia, província central da Zambézia.

Segundo relatos, as ofensivas tiveram lugar entre as 02h00 e 04h00 da manhã, tendo resultado em vandalização de infra-estruturas e roubo de diverso material e medicamento hospitalar, que até ao fecho da nossa edição ainda não estava quantificado.

O primeiro hospital a ser assaltado foi o da vila-sede distrital, onde os doentes foram obrigados a retirar-se dos quartos de internamento, para dar lugar à operação.

Renamo em ação na Mopeia

Páscoa Jaime, uma das doentes, descreveu como um autêntico terror o momento que presenciou. “Chegaram e obrigaram os doentes a saírem dos quartos. Levaram as nossas roupas, pratos e tudo que tínhamos”, explicou.

Segundo a fonte, os invasores empunhavam armas de fogo do tipo AKM e estavam fardados de roupa verde, típica dos guerrilheiros da Renamo.

Um morto em assalto à esquadra

Enquanto decorriam as ofensivas nas unidades sanitárias, outro grupo associado à Renamo assaltava o comando distrital da PRM em Mopeia.

Durante o assalto, consta que os invasores abriram as celas, soltaram alguns detidos, um dos quais viria a morrer, em circunstâncias ainda não claras.

A sala de sessões do governo distrital também foi temporariamente tomada de assalto, tendo os homens armados roubado cadeiras.

Do assalto, fica o balanço de duas viaturas queimadas, uma de marca Mahindra, pertencente ao comando da PRM, e outra da marca Toyota D4D, pertencente ao sector da educação.

A operação no Comando distrital foi rápida, de tal forma que encontrou as autoridades policiais desprevenidas e sem poder de reacção. Segundo os residentes da vila-sede de Mopeia, a acção da “Renamo” foi acompanhada de muitos disparos, o que aterrorizou a população.

Na sequência, muitas pessoas fugiram para locais considerados mais seguros, no interior da vila, e outras foram abrigar-se nas matas, temendo as acções de guerra em curso.

Durante a retirada, os homens armados da Renamo escalaram uma residência local. Aqui, contaram as testemunhas, os invasores não roubaram nada, tendo apenas perguntado quem eram as pessoas que se encontravam hospedadas.

Este domingo, outra ofensiva atribuída a homens armados da Renamo foi reportada na província do Niassa. Segundo a Rádio Moçambique, citada pela AIM, a ofensiva teve como alvo o posto administrativo de Maiaca, em Maúa.

Fonte: O PAÍS

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário

  1. Mas ate kuando com esse conflito?

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: