POLÍTICA

Nyusi condiciona auditoria externa à dívida a resultados das instituições do país

O Presidente da República, Filipe Nyusi, condicionou a recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI), de uma auditoria externa à dívida pública, aos resultados das averiguações da Procuradoria-Geral República e do parlamento.

“O parlamento já tratou desta matéria e, neste momento, a Procuradoria-Geral da República também está a trabalhar sobre o assunto. Estes dois órgãos são soberanos neste país”, disse Nyusi , citado pelo O País.

Segundo a fonte citado acima, Filipe Nyusi afirmou que é preciso esperar pelo resultado das averiguações das instituições moçambicanas antes de ser tomada qualquer outra decisão.

O FMI defendeu, no final de junho, uma auditoria internacional e independente às empresas moçambicanas que beneficiaram de avultados empréstimos avalizados pelo Governo à revelia da Assembleia da República, dos organismos financeiros internacionais e dos doadores.

“Seria necessária uma auditoria internacional e independente às empresas Ematum, Proindicus e MAM, sendo as duas últimas as empresas que receberam financiamento dos empréstimos anteriormente não revelados”, avisou o FMI, no final de uma missão técnica da organização em Maputo, durante oito dias, para avaliar com as autoridades moçambicanas o impacto na economia do país das chamadas dívidas escondidas.

Lusa

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: