POLÍTICA

SASOL viola acordo Rubricado com Governo moçambicano

A multinacional sul-africana, SASOL, que tem explorado o gás na província de Inhambane, região Sul do país, não cumpriu a recomendação do governo, de reduzir para cinco por cento a mão-de-obra estrangeira, que trabalha na fábrica de processamento daquele hidrocarboneto.

O acordo previa que até em 2015, noventa e cinco trabalhadores deveriam ser moçambicanos, mas a quota de estrangeiros continua na ordem de quinze por cento.

Segundo relatou a RM, o director-geral da Sasol residente em Moçambique, Mateus Zimba, considera ser um processo delicado, mas assegura que o trabalho continua, com vista a alcançar os objectivos preconizados pelo governo, nos próximos anos.

Zimba explicou que a experiência e competência têm sido o grande calcanhar de aquiles para o alcance da meta estabelecida pelo governo, no que diz respeito a mão-de-obra estrangeira.

Mateus Zimba anunciou que a Sasol está a construir um segundo gasoduto, com mais de cem quilómetros, para reforçar a capacidade de fornecimento de gás nos mercados nacional e sul-africano.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: