BIZARRO

Estudo revela que ter relações íntimas reduz a probabilidades de contrair câncer

Os investigadores da Universidade de Paisley, Escócia, descobriram que as pessoas que se abstiveram de ter relações sexuais sentiram mais estresse em situações angustiantes — como, por exemplo, falar em público — em comparação com aquelas que haviam feito sexo pelo menos uma vez, em um período de 15 dias.

Para resumir, de acordo com um estudo de 2005, publicado na revista científica Biological Psychology, as pessoas que fazem sexo têm mais capacidade de lidar com o estresse. Por isso, se você deseja manter-se relaxado, talvez deva ter mais ação na cama…

casal-sexo-cama-671x377_c

Risco de câncer

Os homens que deixam de fazer sexo provavelmente estejam perdendo a oportunidade de proteger sua próstata, já que existe evidência indicando que a frequência com que um homem ejacula pode ajudar a reduzir os riscos de câncer nesse órgão, segundo um estudo apresentado à Associação Americana de Urologia e publicado em março de 2016 na revista científica European Urology.

Segundo o portal médico Medscape, os indivíduos que tinham entre 8 e 12 ejaculações por mês haviam tido uma redução de até 10% nas probabilidades de contrair essa doença. E os que tinham entre 13 e 20 ejaculações por mês tinham reduzido essa possibilidade em 20%.

Doenças

Fazer pouco sexo pode reduzir a capacidade do sistema imunológico de combater as doenças, já que as pessoas que têm uma, duas ou mais relações sexuais por semana teriam até 30% mais de imunoglobulina A (IgA). Segundo um estudo de 2004, publicado na revista científica Psychological Reports, esses são os anticorpos mais abundantes do corpo humano e a primeira linha de defesa que o sistema imunológico usa para combater a maioria dos agentes patogênicos que invadem o organismo.

Problemas no relacionamento

Deixar de ter relações sexuais pode afetar sua felicidade, intimidade e a sensação de segurança que você sente em um relacionamento. “Ter um casamento sem sexo pode ser um duro golpe para sua autoestima, além de gerar culpa e diminuir os níveis de oxitocina (o hormônio que ajuda a estreitar os vínculos entre as pessoas). Também pode aumentar o temor de que o parceiro procure outras pessoas para satisfazer suas necessidades sexuais, o que causaria um pouco de paranoia”, comentou o psicólogo Les Parrot na revista Prevention.

Inconvenientes sexuais

De acordo com um estudo publicado em 2008 na revista científica American Journal of Medicine, as probabilidades de sofrer disfunção erétil poderiam aumentar se deixarmos de fazer sexo. Os pesquisadores também descobriram que os homens que têm relações sexuais mais de uma vez por semana são menos propensos a manifestar sintomas de disfunção erétil do que aqueles que não fazem sexo com tanta frequência, revela a Associação Americana de Médicos de Naturopática (AANP, na sigla em inglês).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: