POLÍTICA

Obama admite erro na intervenção militar na Líbia

Em contacto com a estação televisiva Conservadora Fox,  o presidente Norte-americano, Barack Obama, admitiu erro estratégico na preparação do futuro da Líbia, após a intervenção militar, que culminou com a morte de Muammar al-Gaddafi, a 20 de outubro de 2011.

No entanto, o presidente Afro-americano defendeu que a decisão do seu país intervir na Libia foi correcta.

“Quando olho para trás e me pergunto o que é que correu mal, há margem para críticas. Acreditava que os europeus, dada a proximidade da Líbia, se envolvessem mais na estabilização do país depois da operação militar”, disse Obama, referindo-se em particular a França e ao Reino Unido.

Os comentários de Obama desencadearam uma resposta do Reino Unido. Aquele país afirmou que ainda está “a trabalhar arduamente” para apoiar o processo liderado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para criar um Governo estável na Líbia.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.