POLÍTICA

“A morte de Dom Jaime choca o país” diz Afonso Dhlakama

Mesmo estando na parte incerta, o líder do maior partido da oposição no país, Afonso Dhlakama, não se esqueceu de mandar as suas condolências a família do Bispo Dom Jaime, que deixou o mundo dos vivos na madrugada de ontem.

O líder da Renamo avançou que a morte de Dom Jaime é um choque para os moçambicanos porque além do trabalho religioso realizado a favor da igreja católica, o antigo Arcebispo da cidade da Beira lutou pela paz e democracia.

“Quero-me recordar que Dom Jaime esteve em Roma dois anos e meio, em representação da igreja Católica, como mediador. Conseguiu, de forma distinta, falar com a Frelimo e com a Renamo. Aliás, foi ele que trouxe a Maríngwè a mensagem do Vaticano, em Abril de 1988. Na época, aterrou de avião e encontrou-me para dizer que queria negociar, quando o presidente Chissano tinha receio de que a Renamo iria atacar em Maputo. Eu disse-lhe que fosse tranquilizar o presidente porque a nossa intenção era negociar”, disse Afonso Dhlakama citado pelo O PAIS.

Numa outra abordagem, o líder da “perdiz” recordou outro episódio que marcou a sua vida. As declarações feitas por Dom Jaime numa missa que dirigiu na cidade da Beira nos anos 70.

“Recordo-me que quando Dom Jaime regressou de Roma nos anos 70, celebrou uma missa na Beira, e eu estive lá. Na altura, eu ainda era camarada da Frelimo. Naquele contexto em que Samora Machel era presidente, Dom Jaime defendeu que nós não devíamos aceitar o comunismo”, e acrescentou, “Dom Jaime é conhecido como um homem que lutou pela democracia, mesmo antes da Renamo”, sentenciou, acrescentando que está triste por não poder ir ao funeral de Dom Jaime, por questões de segurança.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: