SOCIEDADE

Depois do pão, o preço de energia

O Governo de Filipe Jacinto Nyusi autorizou o aumento da tarifa da energia, desde o passado dia 1 de Novembro, em mais de 15%.

A Electricidade de Moçambique (EDM), que tem o monopólio do transporte, distribuição e venda a retalho da electricidade, justifica o aumento com o facto de a empresa estar no “sufoco”.

Estranhamente, o povo continua a pagar mais caro pela energia do que os mega-projectos e outras grandes empresas que facturam milhões no nosso país.

Sufocado cada vez mais o povo moçambicano que já tinha sofrido um aumento de cerca de 30% no custo do pão e tem visto o seu poder de compra reduzir desde o início do ano e questiona-se: qual é o próximo aumento?

Sem nenhum comunicado ou anúncio nos meios de comunicação, os clientes da EDM que compraram energia desde o início do mês de Novembro já estão a pagar o novo preço.

“O ajustamento médio das tarifas é de 0,7 MT (70 centavos) por cada kWh, com incremento médio de 0,54 MT (54 centavos) por cada kWh nos clientes da categoria doméstica”, informa a empresa estatal de energia no seu site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.