POLÍTICA

Dhlakama ordena delegação da Renamo a desistir do diálogo político

No comício realizado no sábado passado em Quelimane, o líder do maior partido da oposição em Moçambique, Afonso Dhlakama, anunciou as decisões tomadas na reunião que teve com os Desmobilizados da Renamo durante dois dias.

O líder da “perdiz” falou da criação de um exército nacional, um quartel general em Morrumbala, autarquias provinciais e uma força policial paralela ao estado.

“Uma polícia verdadeira e servidora dos interesses do povo em Moçambique.

Esta polícia começará as suas atividades nas seis províncias que a Renamo venceu nas últimas Eleições”, disse Dhlakama.

Afonso Dhlakama em Tsangano

O líder da Renamo foi mais longe, o mesmo ameaçou desistir do diálogo político com o governo que vem decorrendo no Centro de Conferencia Joaquim Chissano.

“Não tenho motivo de vir aqui vos enganar, vos enganar. As coisas podem complicar-se.

Complicar-se por que eu não queria que houvesse um ou dois mortos empurrados. Mas agora que estou a falar, mesmo que morram 20, 40, 20000, a Frelimo não voltará a brincar convosco. Por isso vamos governar as nossas províncias.

Se a Frelimo sentir que perdeu tudo e quiser negociar de boa-fé…não vou negar, por que a partir daí estarei a governar e, eles também estarão a governar.

Mas agora falar que Nyusi quer tomar chá com Dhlakama! Nunca mais, nunca mais.

Nem aquela coisa de Macuiana, Pacheco, eu anuncio agora para deves já não há mais Joaquim Chissano”, sentenciou Afonso Dhlakama.

Loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários

  1. samson joaquim disse:

    sera que isso tera o fim um dia???

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: