CELEBRIDADES NOVIDADES POLÍTICA

Nini Satar humilha director do Canal de Moçambique Fernando Veloso

O semanário Canal de Moçambique da semana (20) abordou temas quentes . Um dos quais falava de Nini Satar. O jornal avançou que o Momad Assife Abdul Satar ou simplesmente Nini Satar, que encontra-se em liberdade condicional desde do dia 4 de Setembro de 2014, isto após o mesmo ter passado muitos anos na prisão, por  estar envolvido no assassinato do jornalista moçambicano Carlos Cardoso e também foi considerado culpado pela fraude do BCM, em 1996, que resultou no desvio de 144 milhões de Meticais , pode voltar a cadeia.

11182209_834530226616076_5176072552245840023_n (1)

 

Nini Satar não gostou do que viu e leu no canal de Moçambique, o mesmo lançou várias farpas ao jornal e o seu director Fernando Velozo. Nini chegou a chama-lo de Jornalista de meia tigela e que ele era a fonte de rendimento daquele Jornal.

Confira as declarações de Nini Satar (esse texte foi retirado do Facebook de Nini Satar e o mesmo não foi editado):

 

“INVEJA MATA E MATA MESMO”

A tempos eu tinha dito que o jornalista Fernando Velozo do canal de Moçambique é um jornalista de meia tigela, há quem deve se recordar disso.
O Nini Satar é uma fonte de rendimento, garanto que se o jornal ficar 10 edições sem falar de mim vai a falênçia porque nem publicidade tem.

O canal de Moçambique na ediçao de hoje abre em paragonas para vender o jornal “Nini Pode voltar a cadeia” e no interior faz uma retrospectiva de ter ouvido vários juristas (será que são juristas ou são fantoches) e ainda mente “NINI EM SILÊNCIO” mente também quando dizem que mandaram me uma mensagem no meu inbox do facebook,não recordo de ter recebido nenhuma mensagen deles no meu facebook caso contrário teria respondido.

Como reconhece o canal de Moçambique que tive a minha liberdade condicional por bom comportamento.

Nini Satar
É de salientar que todo réu que goza de liberdade condicional não está impedido de viajar, conforme o código de processo penal, caso o canal de Moçambique não o tenho faço questão de os oferecer já que o canal não rende, para que assim consultem antes de publicar tolices.

Ha muitos com a mente reduzida como do Fernando Velozo, que foi um fotografo e hoje faz se de jornalista, que pensam que um réu em liberdade não pode se ausentar do país.

RÉU EM LIBERDADE CONDICIONAL PODE VIAJAR

Os Réus em liberdade condicional podem viajar desde que informem ao tribunal que pretendem viajar e qual o motivo da viagem.
A minha viagem inicial foi para india,conforme o juiz confirmou ao canal de Moçambique para fazer um tratamento médico.
Chegado à índia apercebi me que as clínicas na índia não estavam aptas para diagnosticar o que eu tinha, portanto desviei a minha viagem mas antes informei ao tribunal que estaria a mudar os planos e seguir para Europa.
Se o canal de Moçambique não sabe que fique a saber do que estar a escrever mentiras.

Quanto aos meus passeios e meu estilo de vida invejável a liberdade condicional não me impede de fazer,não existe lei alguma que diz que um réu em liberdade condicional não pode gozar a vida.

QUANTO AO MEU CADASTRO

Entre eu e você que é o dono desse jornal Fernando Velozo, e não o André Mulungo que você diz ser o autor dessa reportagem, ambos somos cadastrados, fomos condenados, independemente do crime os 2 temos cadastro sujo.

Quanto ao André Mulungo ja reagiu no meu inbox a dizer que ele nem se quer leu a reportagem,diz que você apenas assinou o nome dele por covardia e inveja.

Para terminar

Fernando Velozo aprenda a ser um jornalista credivel, o nosso país esteve mergulhado na semana passada na notícia de xenefobia que abalou todo Mocambique, e o seu jornal em vez de falar de xenefobia você viu mais lucros falando de mim, se é dinheiro que precisa estou abrir uma instituição de caridade, coloque lá o seu nome na fila que eu depois verei o que faço,melhor pedir do que ganhar dinheiro inventado notícias.

NINI SATA

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. samuel Alberto Manjate disse:

    Bom dia Nini.
    Li o seu seu comentário no Canal de Moçambique. Nao sou um simples cidadão moçambicano que vivo e amo o pais que me viu nascer. Eu penso que as vezes não precisamos difamar outros para ganharmos algum protagonismo social. Admiro a frontalidade e honestidade com a qual Nini tem enfrentado as pessoas (não e covarde), o que muitos não temos por medo de sermos crucificados de qualquer jeito, o que faz muita coisa ande mal no nosso pais. Gostava imenso um dia sentar e conversar com Nini. Preciso aprender muita coisa da vida. Eu pessoalmente sou um aduaneiro de profissão desde 1993 a trabalhar área de importação e exportação de mercadorias para dentro e fora do pais. Talvez minha profissão pode ser útil para Nini. Minha ideia pessoal, pois o pais esta cada dia a lançar muitos cidadãos ao desemprego e pobreza. este e meu pedido pessoal e espero correspondência com Nini a qualquer momento.
    Que DEUS abençoe a todos cidadãos moçambicanos e os ilumine na luz sem descriminação.
    Se tiver exagerado algo, peco desde já as minhas imensas desculpas.
    Abraco fraterno.

  2. José Quelimane disse:

    Gostaria de receber as noticias no meu correio electrónico.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.